quarta-feira, janeiro 09, 2013

Saudades

Sabe que esses dias de férias me deixaram muito sensível e pensativa a respeito de algumas pessoas que fazem e fizeram parte importante da minha vida.

Como a vida muda... Como as pessoas mudam... Como eu mudei...
E aí eu vejo pessoa que eu amei e amo como se fosse da minha família, se afastando assim da minha vida, cada dia mais. Eu não sei delas, mas sei que eu sofro com isso.

Sofro quando vou tentar conversar e nossas idéias não batem mais como antes. Sofro até de ciúme quando vejo que essas pessoas estão adquirindo novas amizades, que pra elas são tão importantes como eu fui... Penso: será que ainda sou? Mas também vejo as amizades que tenho feito e agradeço por cada uma. E desejo que essas pessoas que amei e amo, sejam felizes e encontrem amigos que possam amá-las, diverti-las, cuidar, respeitar, acompanhar, como eu acho que fiz boa parte da minha vida. Mas não me exclua, tá? kkkk

E gostaria que soubessem que estou aqui ainda. Que mesmo que nossas idéias não batam, que a vida tenha nos afastado, eu vou sempre estar aqui para vocês, que sabem quem são! Torcendo, vibrando, me alegrando... Eu sou a mesma Nanda. Com o mesmo amor e carinho por vocês de sempre.

Porque eu amo ainda como se fosse da minha família... E família não acaba nunca.

Desabafinho de uma chorona. Devo ta de TPM. kkkkkkkkkkkkkkkk

sexta-feira, novembro 02, 2012

Medo de morrer

Se tem uma coisa que mudou na minha vida depois que me tornei mãe, essa coisa é o medo da morte. Medo do que aconteceria com a Sophia sem a mãe... Tenho certeza de que ela estaria em boas mãos, mas viver sem mãe...
E eu não seria um fantasma em paz longe dela. rs

Enfim. Essa semana me aconteceu uma coisa bizarra. Fui comemorar o aniversário de uma amiga e tomei uma champagne a mais. Uma não, duas. Tá, nós tomamos três champagnes. Desnecessário. Não precisava tanto, eu sei. Me deu um lapso de adolescente inconsequente e eu fiz essa cagada. Mas nunca poderia imaginar que essa cagada me levaria para o hospital. Já bebi muito na minha vida e o máximo que tive foram ressacas bravas.

Então no dia seguinte, pós champagne, acordei passando muito mal. Meu coração estava muito acelerado e parecendo uma escola de samba. Ele não estava batendo tumtum tumtum tumtum... Ele tava meio tum tututum tum                    tumtum tum turrurururummmmtumtummtumtum... kkk

E aí aborreci o Ric, que já tava puto por ter me visto meio belbs, e falei pra ele me levar correndo pro hospital. Ele ficou muito bravo comigo, e com razão. Para que beber tanto?

Pois bem, eu estava com arritmia. Meu coração chegou a bater mais de 200bpm. E o mínimo que chegou, com muita medicação e repouso, deitada, sem levantar nem pra fazer xixi (sim, tive que usar comadre, cheguei no fundo do poço), foi 150bpm. Então o médico, um amor de médico, veio falar pra mim, justamente na hora que eu estava sozinha (minha mãe tinha dado uma saidinha e o Ric tava com a Sophia), me aparece com o seguinte assunto:

- Olha, Fernanda, seu quadro não está melhorando. Então vamos esperar mais um pouco pra ver se revertemos, mas se não acontecer, teremos que fazer "cardioversão".
Eu: - ok, mas o que é isso?
Ele: - Basicamente vamos reprogramar seu coração. Você vai ser sedada e vamos dar um choque pra reverter isso aí.

A imagem que me veio a cabeça foi aquela daqueles jogadores de futebol a beira da morte sendo desfibrilado. E era isso mesmo que ele ia fazer, mas com mais carinho. kk

Entrei em pânico e ao invés de reverter, piorou, porque comecei a chorar. Chorei tanto que de 150bpm subiu pra 204. Então me acalmei, respirei e me concentrei pra baixar. NADA! Não baixava. Só chegava a 150.

Eu tive muito medo. Muito medo de morrer, muito arrependimento do que fiz com meu corpo e principalmente do que poderia estar fazendo com minha filha, meu marido, meus pais, família toda! Eu só pensava na minha filha, na minha vida. É uma sensação horrível!!!

O Ric chegou lá e o médico explicou o procedimento para ele. E ele teve que autorizar, minha gente. Porque apesar de ser mais seguro do que arriscado, o risco existia. Eu tinha ainda lá 5% de chance de morrer. Por mais que seja pequeno, eu sabia que o risco estava lá  (mas o médico disse para mim só 2%, que era pra eu não morrer antes de susto)

Mas fiz o procedimento. Eu fui sedada, chocada e graças a Deus deu certo. Meu coração foi resetado e voltou bonzinho. Voltei para casa ontem. Ainda estou tomando medicamento e vou ter que tomar por um bom tempo.

O susto me serviu pra muitas coisas, sabe? Para dar valor à vida, ao meu corpo. Que apesar de eu cuidar muito bem da Sophia, isso só não basta. Eu preciso estar aqui para cuidar dela, então preciso cuidar de mim.

Ainda estou muito assustada. Tenho medo de dormir. Fiquei com tanto medo que mesmo com muito sono, num apartamento ótimo, com tv a cabo, ar condicionado, todo conforto de quase um hotel (nem tem entra e sai de enfermeira, só pra dar remédio...), não conseguia dormir no hospital. Quando acordo, agradeço a Deus porque acordei. Ontem ainda no hospital, a tarde, eu tirei uma soneca pesada, quando acordei, levei um susto, pensei que tava voltando de alguma "sedação". kkk Perguntei pro Ric o que aconteceu e ele: nada... kkkk Fiquei meio neura.

Uma das coisas que me deram força foi receber meu celular que eu tinha mandado carregar, cheia de fotinhas da Sophia!!! Muito amor!

O meu amor tinha toda razão do mundo de ter ficado bravo comigo e eu pedi tantas desculpas que fico com vergonha de pedir de novo, mas...

Ric, me desculpa! Sophia, me desculpa! Mãe, pai, me desculpem! Irmãos, sobrinhas, familiares, amigos, me desculpem!

Daqui pra frente penso mais em mim, por vocês. Eu não quero mais me assustar desse jeito, nem assustar ninguém... Ouvir do Ric que a Sophia perguntou se eu ia morrer, me doeu demais. :(

Mas enfim, tomei um choque na vida que é pra ver se eu me esperto e me cuido. Porque não estava seguindo a dieta direito, nem fazendo exercícios. Well, acho que agora vou mudar.

Enfim, vim contar o que aconteceu, pra desabafar e contar para quem ainda estava perguntando "o que houve" no facebook.

:)

Bora viver!

Porque eu preciso continuar vivendo por essa coisinha aqui:



segunda-feira, agosto 13, 2012

Retornando com meus pensamentos...

Eu criei este blog faz muito tempo, quando ele ainda morava no http://www.nandabecker.blogger.com.br. Eu ainda era solteira mas já gostava de exteriorizar meus pensamentos através de postagens.

Até que me casei, me tornei mãe, e passei a exteriorizar meu pensamento principal, que é a Sophia, a maternidade, a família... Então resolvi mudar de casa e fazer um blog materno. Eu tinha também o Adoramos Crianças, com histórias fofas de crianças... E como gosto de ajudar as pessoas e o blog Nanda Becker ficou menos pessoal e então mudei de casa de novo e fui para http://www.ninhodascegonhas.com.br, onde uni o Nanda Becker, o Adoramos Crianças e outras coisinhas mais (visitem lá)...

Ainda continuo no ninho, sempre fui apaixonada pela vida materna, educação, crianças... Eu me lembro que quando pequena torcia pra alguém deixar um bebê na porta de casa. kkkk O Ninho continua sendo meu foco principal... Só que eu percebi que como não é tão pessoal lá, o Nanda Becker não tá cabendo!!! E aí as vezes fico com umas coisas engasgadas e fico querendo não postar no Ninho, porque não tem nada a ver com maternidade. E ontem aconteceu isso. Eu tava louca para escrever umas coisas sobre uns pensamentos e aí resolvi desvincular o Nanda Becker do ninho.

O Ninho continua e muito bem. O Nanda Becker sai de lá e volta pra cá!

E aqui pretendo desabafar, falar sobre qualquer coisa, menos de maternidade, poque a maternidade fica lá no Ninho. A menos que seja algo mais pessoal... Porque lá eu escrevo para as cegonhas e aqui eu escrevo para mim.

Enfim, espero que curtam os dois, mas se não curtirem também, não tem problema. kkk Eu escrevo porque eu curto.

beijocas e daqui a pouco falo sobre aquilo que me incomodou ontem.

quinta-feira, julho 28, 2011

A imbecilidade

E aí que a imbecil aqui apagou todas as imagens do blog, pelo picasa. Não me pergunte por que, nem como...

Sei que to com raiva e com vontade de virar wordpress.com.

Só que aí preciso de ajuda marital, que vive ocupado e faz site só pra fora. Dentro de casa ele faz outra coisa. rsrs...

Quero chorar.

kkkkk

segunda-feira, julho 11, 2011

4 anos: o marco!

Dia 10 de julho, há 4 anos atrás, estava eu colocando no mundo o melhor presente que já ganhei na minha vida! Eu não conseguia parar de olhar pra ela, de beijar, cheirar... Era meu maior sonho ali, realizado. E a realidade era ainda mais linda do que o sonhado. Sophia parecia uma boneca, toda rosada. Deu trabalho sim, mas era doce. É doce.


Sophia é doce e ao mesmo tempo uma criança já tão cheia de personalidade. Decidida. Teimosa, as vezes. É duro de convencê-la do oposto do que ela acredita. Mas eu acho isso ótimo!

4 anos está sendo um grande marco pra Sophia. Tanto que ela deixou sozinha a chupeta, no dia 9 porque "já vou estar grande quando tiver 4 anos".

Na semana que antecedeu o aniversário, ela me perguntou todos os dias se já tinha 4 anos. "Eu já tenho 4 anos, mãe?". Não. "E agora, mãe, já tenho 4 anos?". Não. kkkk e quando finalmente chegou o dia, ela esqueceu de perguntar. Eu disse: Parabéns, filha, hoje você já tem 4 anos.

Ela, numa empolgação contagiante: - Eu já tenho QUATRO anos???? NOOOOOOSSA, NÃO ACREDITOOOO!

Risos.

Depois ela se lembrou que dormiu sem chupeta. - Eu dormi sem chupeta, mamãe?

eu: - Sim, filha, parabéns!!! Você conseguiu!

Ela: NOOOOOOOOOOOOOOOOSSA, NÃO ACREDITO!!!

Então ela tirou a coberta das perninhas, olhou pra mim e disse, mostrando o corpinho de QUATRO anos: - Olha só, mamãe, como cresci! Olha como estou grande! Estou ENORME!

Mais Risos!

Fato é que eu não tenho mais um bebê! Meu bebê está "ENORME" como ela mesma diz. E eu morro de saudades, mas também morro de orgulho e de felicidade de vê-la assim, feliz, saudável, ENORME. hehehe


Porque como diz aquela propaganda, que já citei aqui no blog, é que nós mães queremos que nossos filhos cresçam logo e que não cresçam nunca!


Eu te amo, Sophia! Parabéns, minha grandona!!!

domingo, maio 15, 2011

Dia da família - dedique-se!

O meu bem mais precioso!

Amo minha família mais do que tudo! Meu bem mais precioso! Meu elo, meu chão!

Acredito que além do amor que nos une, a família tem o papel mais importante na formação do ser humano. Hoje as famílias estão diferentes. Existe família de pai, mãe e filhos. Mãe e filhos. Pai e filhos. Mães e filhos. Pai + Pai e filhos.... Filhos e irmãos.

Seja lá qual for a estrutura de sua família, cuide bem dela!

Cuide bem de suas crianças. Dê amor, carinho, atenção, educação. Dedique-se. Separe um tempo pra elas, mesmo que isso te custe menos trabalho, menos dinheiro. A resposta pra isso vai ser um ser humano de bem! A melhor formação que pode dar aos filhos, é o amor e a dedicação à família!

beijos