segunda-feira, janeiro 12, 2009

O que mudou em mim...

Separei alguns temas pra falar aqui no blog. Um deles, o primeiro, é esse:

O que mudou em mim depois que virei mãe?

Consciência
Em primeiro lugar, me tornei uma pessoa mais consciente em relação ao mundo que vivemos. Falo de reciclagem, de água, energia elétrica. Eu penso que devemos deixar um mundo melhor pros nossos filhos e, mais do que isso, ensiná-los a cuidar do planeta. Vocês sabem que a melhor forma de educar, é dar exemplo. Então tento mostrar o melhor que posso. Reciclo, venho me policiando pra desligar a torneira pra escovar os dentes, lavar louça, etc., e também me policio pra desligar as luzes de casa, onde não tem ninguém. Eu me policio e o Ric me policia... Porque esse era um péssimo hábito que eu tinha, ainda antes de casar... Aff, terrível, mas já melhorei muito!

Alimentação
Como eu disse antes, o exemplo é a melhor educação. Como eu morro de medo dela sofrer muito com obesidade, até minha alimentação mudou. Na minha casa, não é a Sophia que come o que comemos, é nós que nos adequamos a alimentação dela. Comemos legumes e salada.

Auto-confiança
Com minha pequena, aprendi a confiar mais no meu taco. Eu sempre me achei inferior, achava que minhas idéias sempre estavam erradas... Aí ficava pedindo conselho pros outros, até que eu percebi que eu não concordo com todos os conselhos e parei com conselho. PAREI! Sigo o que minha consciência manda, o que EU acho que é melhor pra nossa filha e pra nós. Por exemplo: Em relação a "onde o bebê deve dormir". Onde ficar confortável pra toda a família. Essa é minha resposta. Durmo com ela MESMO. E vou colocar ela no berço dela, no quarto dela sozinha a partir de agora, porque EU E MEU MARIDO achamos que está na hora. Ninguém mais pode influenciar nossas decisões. Não, ela não vai se tornar uma adulta dependente por causa disso. Ela vai se tornar uma adulta segura e muito amada!

Instinto
Aprendi também que tenho que seguir meu instinto! Se eu acho que ela tem q tomar calman pra dormir, eu dou, senão NÃO DOU MESMO. Quando ela nasceu, uma pediatra louca me mandou dar calman a ela, com 3 dias de vida, dizendo que o berro que ela tava tendo durante a noite era porque "alguns bebes são mais agitados". Eu não queria dar de jeito nenhum, estava me sentindo muito mal mesmo em ter que dar... Mas o Ric, pai de primeira viagem dizia: Nanda, a médica disse que pode... Pode dar... Vai ser melhor... - Então tá! Dei, a contragosto total! Ela dormiu muito, ficou com um sono muito pesado e não acordava pra mamar. Eu tentava acordar e NADA. Terrível, parecia que estava desmaiada! Depois de 20 dias mais uma noite de muito choro... Ligamos pra médica porque o Ric já queria dar o calman de novo. Eu disse, então liga pra ela, se ela achar que é melhor, a gente da. Sabe o que ela disse? "nãooooo, calman é só a partir de 1 mes!". O Ric ficou tão doido, que não teve reação e desligou o telefone... Depois disso, nem médico mais tem tanta razão assim... Sigo o meu instinto de mãe!!! E olha, é forte!!!

Indignação
Aff, fiquei muito mais revoltada com as injustiças! Sofro e choro quando vejo em algum noticiário, cenas de violência, de mortes e abandonos de crianças... Ou mesmo com adultos. Pessoas inocentes! Mas é muito pior com crianças, idosos e pessoas com alguma deficiência.

Gratidão
Olho para o céu todas as noites e agradeço a Deus pela minha filha ter saúde, por eu ter saúde. Aprendi a agradecer mais, ao invés de reclamar. Principalmente quando vejo alguma criança com problema... Nossa, minha filha é perfeita, eu não tenho do que reclamar... As vezes passamos por dificuldades, mas temos um ao outro em casa. "é muito amor, meu", como diz minha sogra!

Generosidade
Justamente por ter uma filha tão perfeita, tenho vontade de pegar no colo as pessoas que estão com algum problema. Tem um filho de um funcionário aqui da fábrica que tem sindrome de down. Meu pai ajuda ele, paga plano de saúde, pagou o parto, enfim... Da uma super força e é bonito ver a gratidão dos pais, sabe? E quando eu vejo aquele menino, que tem um mês a mais que a Sophia, me da um amor no peito, uma vontade de chorar de emoção... Parece que estou vendo um filme lindo, o final, sabe? Tenho vontade de pegar aquela criança no colo e brincar com ele... Enche-lo de sorrisos!!!

Sempre que posso, faço doações a crianças mais necessitadas e mais do que bens materiais, distribuo sorrisos! Olho para elas, sorrio, brinco, dou tchau... Trato elas muito bem! E tambpem trato os adultos bem. Peço licensa, agradeço... Sou mais "bem educada" agora do que antes...

Amor
Deus do céu, como sofro quando ela não está legal. Chego a pedir a Deus, que passe o desconforto, a dor, tudo para mim, pra que ela não sinta nada. O amor que tenho por ela é uma coisa louca que nunca senti antes. É diferente de tudo... Vivo, respiro, ando, faço tudo pensando nela, no que é melhor para ela... Deixei de olhar vitrine de vestidos, olho muito mais vitrines infantis do que qualquer outra coisa... Gosto muito mais de gastar dinheiro com ela do que comigo mesma.. rsrs... Só queria ter um pouco mais, pra poder encher ela de presentes, coisas boas... E também pra ajudar os outros...

Enfim, é isso gente... São minhas mudanças! Talvez o Ric tenha percebido algo mais em mim e ele possa dizer mais.

E em você, o que mudou depois de se tornar pai/mãe?

3 comentários:

Ro disse...

oi nanda...fazia tempo q eu naum lia seu blog, e hj me deparei lendo e matando as saudades da Sophia bb, pq hj ela jah eh uma mocinha linda...bjus a vocs 3.

Ana Cláudia Bessa disse...

Nanda , entendo perfeitamente do que está falando...
:0))))

renata disse...

Tudo mudou em mim!!!
A maternidade traz inumeras tranformações, principalmente na alma da mulher... O amor é tão intenso que só me sinto realmente feliz quando vejo que meu filho está bem, com aquele sorriso lindo e ingênio em seu rosto, me enviando a mensagem de "estou feliz mamãe". Pois é, basta um chorinho e eu já fico toda preocupada com o bem estar dele... rsrsr. é... agora já não é tão simples ser feliz, já que minha felicidade está intimamente ligada a felicidade do meu filho, se ele sofre eu sofro, se ele não dorme, eu também não, se ele não come bem, eu mal lembro de me alimentar, enfim, ser mãe é maravilhoso, faz o coração tranbordar de amor, ser mãe é exaustivo, vc deixa de existir por um bom tempo rsrsrsr...
Fer, me emocionei com seu blog... Vem dançar comigo fujona!!!
Saudades...